O que ensinamos – e aprendemos- na consultoria de estilo

(*Post originalmente publicado no portal www.geracaomae.com.br. Acompanhem as próximas etapas que replicaremos aqui!)

 

Há duas semanas terminamos a consultoria de estilo da Fernanda. Passamos quase três meses juntas.

Em seis etapas a gente entrega um método, um passo-a-passo quase rígido que conduz à construção de um caminho de estilo genuíno pra depois virar sorriso no espelho. E esse não é um caminho fácil.

consultoria de etsilo
– teve a Fernanda pensando que era hora de aposentar a saia de couro porque não tinha certeza se ainda era o caso de usar, mas aprendeu! –

É verdade que precisa ter tempo e algum dinheiro, mas o que precisa mais é ter peito aberto. A gente perguntou sobre a vida inteira [trivialidades e intimidades], deu tarefas, tumultuou os horários da casa, observou todos os detalhes daquela silhueta com olhar minucioso, gastou horas e reais. Apresentamos caminhos mas pedimos extra de dedicação. Tiramos todas as peças do armário e algumas perguntas da cartola. E sim, às vezes ela teve um medinho – e a gente também!

 

consultoria de estilo
– teve a Fernanda que não sabia usar cores, mas aprendeu –

No fim das contas, a gente apresenta ‘looks’, mas acredita que é roupa transformada numa nova oportunidade de auto-amor e respeito máximo pelo que se é.

A Allmaria estudou muito, ficou um tiquinho sem dormir e colocou todo coração [que é triplo] pra montar um quebra-cabeça que apresentasse soluções acessíveis pra vida que a Fernanda leva dentro da roupa – faça chuva ou sol, seja dia de trabalho ou lazer, tenha ânimo extra ou preguiça sem fim.

 

- teve a Fernanda que nunca tinha experimentado monocromáticos [ou macacão de mentira] interessantes e achava que terceira-peça não era pra ela, mas aprendeu! -
– teve a Fernanda que nunca tinha experimentado monocromáticos [ou macacão de mentira] interessantes e achava que terceira-peça não era pra ela, mas aprendeu! –
Passamos quase três meses juntas. Ensinamos sobre cortes, cores e caimentos. Aprendemos sobre cachoeiras, quintais amplos e o valor do pé descalço. Ensinamos sobre espelho. Aprendemos sobre horizontes.

- teve a Fernanda que estava indo pro clube de roupa de corrida porque não sabia como ter mobilidade pra brincar com as filhas sem parecer desleixada, mas aprendeu! -
– teve a Fernanda que estava indo pro clube de roupa de corrida porque não sabia como ter mobilidade pra  brincar com as filhas sem parecer desleixada, mas aprendeu! –

Falamos [muito e sem parar] sobre vontades de vestir, estilos, elegantizadores & sensualizadores e comunicação não-verbal. E fizemos silêncio para uma mulher que – daquele tamanico! – venceu 21km, mesmo com dor.

Apontamos o que era difícil. Ela respirou fundo, exercitou e devolveu como se nada fosse!

Quando a gente termina esse processo, entrega ferramentas e direções, mas não entrega receita. A Fernanda não tá pronta, mas tá bem desperta!

amber rose red carpet prom gowns
– teve a Fernanda jurando que não sabia usar estampas. e muito menos misturadas! mas aprendeu! –

Daqui pra frente, o tempo é dela pra colocar em prática todo aprendizado – de passinho ou a passos largos. [E, só aqui entre nós, vale lembrar que ela é maratonista!]

Vou terminando esse post imaginando que ele deveria ser escrito por ela, pra poder contar o que achou, o que sentiu, como tem sido o dia a dia, se houve cansaço, se tem recompensa.

Pra gente, tem gratidão. Enorme!

- e bom... teve a Fernanda arrebentando a boca do balão! –
– e bom… teve a Fernanda arrebentando a boca do balão! –

Do nosso lado, Fer, as suas mensagens chegam nos nossos telefones de forma tão grandiosa, tão melhor do que poderíamos imaginar que… tá lembrada aquele café que você propôs? Vamos trocar por champagne! 🙂

 

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *